qui. maio 23rd, 2024

Protesto dos Servidores da Saúde de Cuiabá por Corte no Adicional de Insalubridade

By Redação abr3,2024

Servidores da Saúde de Cuiabá reuniram-se na Praça Alencastro nesta quarta-feira (3) para protestar contra a suspensão do pagamento do adicional de insalubridade, que representa 40% da folha salarial dos funcionários.

Diversas categorias, incluindo enfermeiros, agentes de saúde, odontólogos e médicos, exigem o pagamento imediato desse benefício crucial.

O corte repentino, anunciado na véspera do feriado da Sexta-feira Santa, pegou todos de surpresa. O presidente do Sindicato dos Odontologistas do Estado de Mato Grosso (Sinodonto), Leandro Arruda, expressou sua consternação, ressaltando que o adicional é essencial para profissionais que trabalham em ambientes insalubres, como clínicas odontológicas e hospitais.

A Prefeitura de Cuiabá emitiu uma nota declarando que buscará resolver a questão após reunião com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público de Mato Grosso (MPE).

A administração municipal se comprometeu a realizar o pagamento do adicional assim que a Justiça autorizar a prorrogação do prazo do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

No entanto, representantes das categorias afirmam que não foram incluídos nas discussões sobre o recálculo do adicional. O Sinodonto já agendou uma assembleia geral para debater a possibilidade de greve, enquanto o Sindicato dos Profissionais de Enfermagem de Mato Grosso (Sinpen) também está considerando medidas semelhantes.

Os sindicatos estão buscando uma reunião com o prefeito Emanuel Pinheiro para exigir uma solução imediata.

Caso não haja acordo, uma greve unificada está sendo considerada como próximo passo.Em meio a essas tensões, a Prefeitura explica que a suspensão do pagamento foi uma medida necessária devido à falta de uma empresa contratada para realizar o recálculo. No entanto, garantem que nenhum servidor será prejudicado e que todos receberão o adicional retroativamente após a regularização.

É evidente que o diálogo entre autoridades e servidores é crucial para resolver essa questão de forma justa e rápida, garantindo os direitos dos trabalhadores da saúde de Cuiabá.

Pablo Cuiabano
considero o corte no adicional de insalubridade uma medida injusta e prejudicial. É fundamental que haja diálogo entre autoridades e representantes dos trabalhadores para garantir seus direitos e encontrar uma solução rápida e justa para essa situação. O reconhecimento e a valorização desses profissionais são essenciais para o bom funcionamento do sistema de saúde e o bem-estar da comunidade como um todo.

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *