seg. maio 20th, 2024

Brasil será primeiro país no mundo a tributar amplamente o setor financeiro pelo IVA, diz Loria

By Redação maio4,2024

Segundo o diretor da Secretaria Extraordinária de Reforma Tributária, outros locais dão isenção para esses serviços 

Por Marta Watanabe

A emenda da reforma tributária e a proposta de regulamentação do governo constante do Projeto de Lei Complementar (PLP) 68/2024 propõem um regime específico para os serviços financeiros, o que é uma inovação em relação ao que existe no mundo, já que outros locais dão isenção para esses serviços e há países em que a opção foi apenas tributar tarifas e comissões, aponta Daniel Loria, diretor da Secretaria Extraordinária de Reforma Tributária. 
null

“O Brasil será o primeiro país no mundo a tributar de forma ampla o setor financeiro pelo IVA [Imposto sobre Valor Agregado”, diz Loria. 

Na Europa historicamente há isenção, diz ele, o que resulta em empoçamento de créditos e leva as instituições financeiras a verticalizar suas atividade financeiras, elevando os preços dos serviços oferecidos. Já em países como Canadá, África do Sul e Nova Zelândia há a cobrança do IVA sobre tarifas e comissões. 

Na reforma tributária sobre consumo brasileiro, o IVA, caracterizado pela não-cumulatividade, cálculo por fora e cobrança no destino, será dual, dado pela Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), de arrecadação federal, e Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), que será gerido por Estados e municípios. 

“Nossa forma de tributar não só será melhor que a da Europa, mas o modelo europeu na verdade é um dos piores do mundo”, diz Hélio Mello, auditor fiscal da Receita Estadual de São Paulo. Ele explica que, como há isenção, o setor acumula os resíduos tributários do meio de cadeia. E, se uma linha de crédito é concedida a uma pessoa física não há direito a crédito tributário, mas o sistema gera uma subtributação. Já se o empréstimo é concedido a uma pessoa jurídica, a empresa também não toma o crédito tributário, mas não há tratamento de subtributção. Com isso, diz ele, o empréstimo concedido ao consumidor final, que é destinado a consumo, acaba sendo relativamente menor tributado do que o empréstimo concedido a empresas, muitas vezes direcionado a investimentos. 
null

O projeto de lei complementar que regulamenta a reforma tributária estabelece regime específico para serviços financeiros, que contemplam intermediação financeira, arrendamento mercantil, seguros, capitalização e similares. Os regimes específicos não necessariamente significam menor carga tributária, mas neles são estabelecidas regras específicas em razão da dinâmica própria de cada atividade.

No caso dos bancos, as tarifas e comissões entram na regra geral para pagamento do IBS e CBS. Bens e serviços adquiridos pelos bancos também deverão dar direito a crédito. Já o spread dos bancos obedecerá a regime específico, no qual os tributos serão calculados sobre a diferença entre os juros de captação e os juros dos créditos concedidos. 

Pessoas jurídicas que tomam empréstimos poderão ter direito a crédito dos dois tributos, algo que não existe no sistema atual. O crédito será calculado, explica Loria, pela diferença entre a taxa básica de juros, a Selic, e os juros pagos no empréstimo. 

Loria lembra que a ideia é que as empresas do setor emitam mensalmente um documento com a lista dos tomadores de serviços. Esse documento, diz Loria, será direcionado ao Comitê Gestor do IBS, para que com base nele seja feita a distribuição da receita do imposto entre Estados e municípios. A ideia, defende, é que não seja necessária emissão de nota fiscal para todas as operações do setor, mas esse é um tema ainda em discussão. O PLP 68 não estabeleceu a alíquota específica para os serviços financeiros, mas a cobrança será uniforme nacionalmente. 
null

As declarações foram dadas em debate esta tarde sobre reforma tirbutária promovida pelo Núcleo de Estudos Fiscais da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas (NEF/FGV Direito SP)

— Foto: Pixabay Mais recentePróxima 

Agora o Valor Econômico está no WhatsApp!

Siga nosso canal e receba as notícias mais importantes do dia! 

CONHECER 

https://d-1016171867236839829.ampproject.net/2404181825000/frame.html

De Itaú a copo Stanley, marcas pegam carona em show de Madonna

AgoraEmpresas

Relator inclui revogação de isenção de importações abaixo de US$ 50 em projeto do Mover

Há 2 minutosPolítica

Copacabana tem ruas fechadas e revista com detector de metais para show de Madonna

Há 50 minutosBrasil

Japão e Índia negam serem ‘xenófobos’, como disse Joe Biden

Há 53 minutosMundo

Chuvas: Governo do RS corrige para 55 o número de mortos em temporais

Há 1 horaBrasil

Leite diz que Rio Grande do Sul precisará de um “plano Marshall” para reconstrução

Há 1 horaBrasil

Bolsonaro tem alta em hospital de Manaus após atendimento por erisipela

Há 2 horasPolítica

Buffett fala sobre IA: mundo um dia pode se arrepender ter deixado ‘o gênio sair da garrafa’

Há 2 horasFinanças

Berkshire vende participação na Paramount: ‘Perdemos um bom dinheiro’, diz Buffett

Há 3 horasFinanças

Novo CEO da Vale deve ser próximo dos governos, diz Silveira

Há 3 horasEmpresas

Related Post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *